A era do 400 Giga finalmente está cada vez mais se tornando uma realidade, mas aí que está a questão: o quão rápido o mercado estará preparado para recebê-la? A resposta é “depende”. Nem todo data center está pronto para pular direto para a tecnologia 400G, mas o fato é que cada vez mais esse upgrade se torna necessário. A melhor forma de começar essa adequação nas arquiteturas de rede do seu provedor de data center é compreendendo que mudanças precisam ser realizadas. Neste artigo você vai ter informações sobre cabos de conexão direta de 400G (DACs), cabos ópticos ativos (AOCs), além de sugestões sobre medidas que precisam ser tomadas para que seu data center fique cada vez mais próximo do servidor 400G. 

 

Revisitando a comparação DAC / AOC

Antes de entrarmos no mérito do equipamento 400G, vamos falar um pouco mais sobre o investimento em cabos DACs ou AOCs. Lembramos que existem diferenças de custo, comprimento, durabilidade e integridade do sinal. Veja abaixo alguns pontos importantes:

  • Investir em DACs e AOCs economiza tempo e dinheiro, quando comparado à compra de transceptores e cabos individuais.
  • Por usarem cobre, os DACs são mais econômicos que os AOCs.
  • Com base em fibra, os AOCs oferecem vantagens em termos de comprimento do cabo, mas devem ser manuseados cuidadosamente, pois são mais leves e finos que os DACs.
  • Os data centers geralmente precisam de ambos para atender a diferentes requisitos de distância.

Quando se trata de 400G, a história é bastante semelhante, mas com algumas diferenças. Por um lado, os DACs de 400G são muito mais curtos do que as versões de largura de banda inferior, chegando a comprimentos de um, dois e três metros. À medida que o comprimento do cabo aumenta, também aumenta sua espessura. Como os DACs usam cobre, é melhor que sua aplicação seja feita para curtas distâncias, o que evita perdas de sinal devido à interferência eletromagnética. Porém, em data centers, geralmente 3 metros são suficientes para ligar a maioria dos racks.

Como os AOCs 400G usam cabos de fibra óptica para transmissão de sinal, eles são mais resistentes a ruídos e também têm um volume menor e peso mais leve do que os DACs de cobre 400G. Eles também podem percorrer distâncias maiores do que DACs – entre 70 e 100 metros. Em contrapartida, os AOCs acabam se tornando mais caros do que os DACs, interferindo diretamente no orçamento e custo total de aquisição desses produtos.

Também é importante notar que, em termos de variantes, o DAC 400G oferece mais opções em cabos breakout. Esses cabos têm uma porta QSFP56-DD de um lado e várias portas QSFP ou SFP do outro. Eles são úteis para dividir um sinal de 400G em larguras de banda de 200G, 100G e 50G, conectando diferentes tipos de equipamentos de rede (de diferentes fornecedores também).

Dependendo de suas necessidades de largura de banda, orçamento e requisitos de energia, os DACs e AOCs de 400G são um investimento valioso, especialmente para os operadores de data center que pensam a longo prazo. É importante observar, no entanto, que seguir esse caminho e adotar totalmente o 400G requer uma base financeira sólida, pois trata-se de uma atualização onerosa. Por si só, DACs e AOCs são apenas uma peça de um quebra-cabeça dessa grande transformação digital. A execução do 400G também requer outro novo hardware.

 

Upgrades adicionais para data center: aproveitando a compatibilidade com versões anteriores

Na jornada para 400G, existem duas estratégias principais que os provedores de data center podem utilizar:

  • Invista totalmente na atualização para 400G, adquirindo DACs, AOCs, cabos de breakout de DAC e outros equipamentos associados
  • Aproveite a compatibilidade reversa 400G DAC / AOC QSFP56-DD com portas QSFP28 para uma atualização incremental

As portas QSFP56-DD dos modelos DAC 400G e AOC são compatíveis com versões anteriores do QSFP28. Como resultado, um cliente poderia comprar esse tipo de hardware 400G, mas aumentá-lo para 100G usando as portas QSFP28 no equipamento existente. A opção de migrar totalmente para 400G pode, portanto, ser explorada de forma mais completa posteriormente, quando necessário. O benefício é que o provedor de data center que investe nas novas tecnologias, tem uma possibilidade muito maior de crescimento e pode começar a se preparar para o sucesso imediatamente. Claramente, há mais de um caminho para o 400G.

 

Conte com a FonNet, distribuidora exclusiva dos produtos 400G da Precision OT

Quando se trata de 400G em data centers, a Precision OT é um player ativo no mercado, e a FonNet é a revendedora EXCLUSIVA dos produtos da Precision no Brasil. Oferecendo cabos 400G DAC e 400G AOC, estamos prontos para suportar os operadores de data center com quaisquer requisitos exclusivos que eles tenham.

Além disso, a Precision também está se preparando para oferecer um cabo breakout DAC 400G, que usa um único transceptor QSFP56-DD conectado a quatro terminais QSFP28. Com este cabo, os técnicos do data center podem conectar uma única porta 400G a quatro equipamentos diferentes para obter uma conexão de rede de 400G a 100G. É claro que todos esses cabos são testados no laboratório de engenharia da Precision, garantindo a entrega de produtos da mais alta qualidade.

*Artigo traduzido e adaptado.
Fonte: https://www.precisionot.com/tips-for-preparing-your-data-center-for-400g-server-interconnect/

 

Você precisa dar o salto para 400G agora ou em breve? Conte conosco. Nossa equipe de executivo de vendas e engenheiros podem te ajudar!

Fale Conosco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *